Aquela sensação de estar esquecendo algo ou até mesmo de estar faltando uma peça de roupa é comum sentirmos quando esquecemos nosso celular. Quem nunca ficou desesperado quando se dá conta de que não sabe onde está o seu aparelho ?

É assim que vivemos hoje : ligados de tal forma ao celular que as vezes parece até um pedaço da gente.

As crianças com pouca idade já sabem cada função que existe, ao acordarmos já o procuramos para ver se tem alguma mensagem nova ou se alguém ligou. Raramente ficamos mais de 30 minutos sem mexer nesse aparelho que substitui uma infinidade de outros aparelhos e simplifica nossa vida.

Agora já imaginou se tivéssemos o mesmo apego à nossa Bíblia ? Como seria se, ao acordarmos pela manhã, a primeira coisa que fizéssemos fosse consultar um versículo para orientar nosso dia ?

Ok, ok, muitos dirão que tem a Bíblia no celular mas…quando acaba a bateria..acabou a Palavra de Deus ?

Que voltemos a buscar a Palavra de Deus com mais avidez com que buscamos o celular quando ouvimos o alerta do WhatsApp, ou que consultemos a Bíblia com mais curiosidade com que vasculhamos o perfil de uma pessoa no Facebook.

Sentimos-nos nus quando esquecemos o celular em casa, mas saímos todos os dias sem nos revestir da armadura de Deus (Efésios 6, 11-17).

O celular não sai da nossa mão mas quantas vezes deixamos a impessoalidade de um aplicativo de conversa e ligamos para falar com aquela pessoa que nos machucou ? Mais fácil bloquear e esquecer…

Vamos descartando a vida e as oportunidades da mesma forma com que compramos um novo aparelho a cada lançamento.

O celular é ruim ? De forma alguma. É algo bom, que nos ajuda e nos conecta com o mundo. Mas quando toma o lugar de coisas importantes, quando nos desconecta ao ponto de tudo ficar impessoal e distante…está na hora de refletir.

Que o nosso empenho em buscar a Palavra de Deus seja maior do que a vontade de olhar aquela mensagem, aquele status, aquele vídeo…