O requisito básico para uma boa confissão é ter a intenção de retornar a Deus como o “filho pródigo” e reconhecer nossos pecados com verdadeira tristeza diante do sacerdote.

PECADO NA MINHA VIDA
A sociedade moderna perdeu o senso de pecado. Como seguidor católico de Cristo, devo fazer um esforço para reconhecer o pecado em minhas ações, palavras e omissões diárias.

Os Evangelhos mostram quão importante é o perdão de nossos pecados. A vida dos santos prova que a pessoa que cresce em santidade tem um senso mais forte de pecado, tristeza pelos pecados e necessidade do sacramento da penitência ou da confissão.

AS DIFERENÇAS NOS PECADOS
Como resultado do pecado original, a natureza humana é enfraquecida. O batismo, transmitindo a vida da graça de Cristo, tira o pecado original e nos volta a Deus. As conseqüências dessa fraqueza e a inclinação ao mal persistem, e freqüentemente cometemos pecado pessoal ou real.

O pecado real é o pecado que as pessoas cometem. Existem dois tipos de pecado real, mortal e venial.

O pecado mortal é uma ofensa mortal contra Deus, tão horrível que destrói a vida da graça na alma. Três condições simultâneas devem ser cumpridas para um pecado mortal: 1) o ato deve ser algo muito sério; 2) a pessoa deve ter entendimento suficiente do que está sendo feito; 3) a pessoa deve ter suficiente liberdade de vontade.

LEMBRAR
Se você precisar de ajuda, especialmente se estiver ausente há algum tempo, basta perguntar ao padre e ele o ajudará “orientando” você nas etapas para fazer uma boa confissão.

ANTES DA CONFISSÃO
Lamentem verdadeiramente seus pecados. O ato essencial da penitência, por parte do penitente, é a contrição, uma clara e decisiva rejeição do pecado cometido, juntamente com uma resolução de não cometer novamente, por amor que se tem por Deus e renasce com arrependimento. .A resolução para evitar cometer esses pecados no futuro (emenda) é um sinal claro de que sua tristeza é genuína e autêntica. Isso não significa que seja necessária uma promessa de nunca cair novamente no pecado. Uma resolução para tentar evitar as próximas ocasiões de pecado é suficiente para o verdadeiro arrependimento. A graça de Deus, em cooperação com a intenção de retificar sua vida, lhe dará força para resistir e vencer a tentação no futuro.

EXAME DE CONSCIÊNCIA
Antes de ir para a Confissão, você deve fazer uma revisão dos pecados mortais e veniais desde a sua última confissão sacramental e expressar tristeza pelos pecados, ódio pelos pecados e uma firme resolução de não pecar novamente.

Um padrão útil para o exame da consciência é revisar os Mandamentos de Deus e os Preceitos da Igreja:

Deus e a busca da santidade em Cristo têm sido o objetivo da minha vida? Eu neguei minha fé? Confiei em falsos ensinamentos ou substitui Deus? Eu me desesperei com a misericórdia de Deus?

Evitei o uso profano do nome de Deus em meu discurso? Eu quebrei um voto ou promessa solene?

Honrei todos os domingos evitando trabalhos desnecessários, celebrando a missa (também feriados)? Eu estava desatento ou desnecessariamente atrasado para a missa ou saí mais cedo? Negligenciei a oração por um longo tempo?

Já mostrei respeito cristão aos pais, cônjuge e familiares, autoridades legítimas? Tenho prestado atenção à educação e formação religiosa dos meus filhos?

Eu cuidei da saúde e segurança corporal de mim e de todos os outros? Eu abusei de drogas ou álcool? Apoiei de alguma forma o aborto, “assassinato por misericórdia” ou suicídio?

Eu estava impaciente, zangado, invejoso, orgulhoso, ciumento, vingativo, preguiçoso? Perdoei os outros?

Eu assumi minhas responsabilidades como empregador e funcionários? Discriminou os outros por causa de raça ou por outros motivos?

Fui casto em pensamentos e palavras? Eu usei o sexo apenas no casamento e enquanto estava aberto para procriar a vida? Eu me dei gratificação sexual? Eu deliberadamente olhei para TV impura, imagens, leitura?

Eu roubei algo de outro, do meu empregador, do governo? Se sim, estou pronto para pagar? Eu cumpri meus contratos? Eu joguei precipitadamente, privando minha família de necessidades?

Já falei mal de outra pessoa? Eu sempre disse a verdade? Eu mantive segredos e confidências?

Permiti pensamentos sexuais sobre alguém com quem não sou casado?

Eu desejei o que pertence a outras pessoas? Eu desejei mal em outro?

Fui fiel à vida sacramental (Santa Comunhão e Penitência)?

Ajudei a tornar minha comunidade paroquial mais forte e mais santa? Eu contribuí para o apoio da Igreja?

Fiz penitência ao abster-me e jejuar nos dias obrigatórios? Eu jejuei antes de receber a comunhão?

Estive atento aos pobres? Eu aceito a vontade de Deus para mim?

DURANTE A CONFISSÃO
Depois de examinar sua consciência e contar a Deus sua tristeza, entre no confessionário. Você pode se ajoelhar na tela ou sentar-se para conversar cara a cara com o padre.

Comece sua confissão com o sinal da cruz: “Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Minha última confissão foi _______ semanas (meses, anos) atrás. ”

O padre pode ler uma passagem da Sagrada Escritura.

Diga os pecados que você se lembra. Comece com o (s) mais difícil de dizer. (Para fazer uma boa confissão, os fiéis devem confessar todos os pecados mortais, de acordo com o tipo e o número.) Depois de confessar todos os pecados que você se lembra desde a sua última boa confissão, você pode concluir dizendo: “Sinto muito por estes e todos os pecados da minha vida passada.

Ouça as palavras do padre. Ele lhe atribuirá alguma penitência. Fazer a penitência diminuirá o castigo temporal devido aos pecados já perdoados. Quando convidado, expresse alguma oração de tristeza ou ato de contrição, como:

Um ato de contrição

Ó meu Deus, sinto muito por ter ofendido você e detesto todos os meus pecados, porque temo a perda do céu e as dores do inferno. Mas acima de tudo, porque eu o ofendi, meu Deus, que é bom e merece todo o meu amor. Com firmeza, resolvo com a ajuda de sua graça confessar meus pecados, fazer penitência e emendar minha vida. Amém.

No final da confissão
Ouça as palavras de absolvição, o perdão sacramental da Igreja por meio do sacerdote ordenado.

Ao ouvir as palavras de perdão, você pode fazer o sinal da cruz com o padre. Se ele encerrar dizendo: “Agradeça ao Senhor por ser bom”, responda: “Porque a sua misericórdia dura para sempre”.

DEPOIS DA CONFISSÃO
Agradeça a Deus por perdoá-lo novamente. Se você se lembra de algum pecado grave que esqueceu de contar, tenha certeza de que foi perdoado pelos outros, mas não se esqueça de confessá-lo em sua próxima confissão.

FAÇA SUA PENITÊNCIA
Resolva retornar ao Sacramento da Reconciliação com frequência. Nós, católicos, temos a sorte de ter o Sacramento da Reconciliação. É a maneira comum de perdoarmos nossos pecados. Este sacramento é uma ajuda poderosa para se livrar de nossas fraquezas, crescer em santidade e levar uma vida equilibrada e virtuosa.